segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Eu preciso dizer que eu te amo - parte II



Já ouviram falar de um livro chamado "As Cinco Linguagens do Amor"?
O livro é fruto do trabalho do antropólogo Dr. Gary Chapmam que, após trinta anos aconselhando casais e famílias, ficou convencido de que existem cinco linguagens básicas pelas quais o amor é expresso e compreendido.
Viu? E você achando que era só falar "eu te amo" pelos menos umas 5 vezes no dia que estava tudo resolvido, né? Nananinanão!
Esse livrinho, em especial, mais do que discrever sobre as mulheres de marte e os homens de plutão, fala a respeito de coisas essenciais e práticas e que podem ser úteis em todos os níveis de relacionamento.
Através da leitura dá para entender melhor, por exemplo, porque algumas pessoas gostam tanto de ficarem abraçando e beijando o tempo todo. Conhece o tipo? Aquela amiga, aquele namorado ou até mesmo aquela tia que só sabe conversar te "pegando"? Pois então! Tem uma explicação!
E aquelas pessoas que nunca falam em alto e bom som que amam, mas que são muito gentis e solícitas? Elas amam menos só porque não expressam verbalmente o amor que sentem pelos seus? Há ainda quem se derreta ao receber um presentinho, por menor que seja... Conhece alguém assim?
Tem também a turma que só se sente querida se ouvir das pessoas amadas o quanto elas o admiram. Para elas o "eu te amo" de todo dia tem que vir acompanhado de palavras positivas e elogios em doses "cavalares"! 
Sem tempo para se dedicar ao seu amor? Bom, isso pode não ser problema se ele for do tipo que valoriza mais a qualidade do tempo do que a quantidade.
Mais do que dar uma receita de bolo, a proposta do Dr. Gary Chapmam é a de facilitar a vida, principalmente dos casais. Ora, pois se você consegue "ler" a linguagem de amor do seu parceiro, fica fácil - ou menos difícil - demonstrar para ele o quanto você o ama.
Eu, particularmente, me identifiquei com a linguagem que ele descreve como "Gestos de Serviço". Tanto como forma de me expressar, como, também, de receber carinho. Não que as outras linguagens não sejam importantes, mas essa seria a que melhor me descreve.
Quer saber qual é a sua linguagem do amor?
Bom, abaixo, segue a lista com breve resumo das cinco propostas.

Não é fácil. Mas vale a pena!

Palavras de Afirmação
São sentenças expressas em: elogios como "a janta estava ótima", afirmações, (ex: acho que você faz isso muito bem), e incentivos como "vai dar tudo certo".

Qualidade de Tempo
É a dedicação de um tempo exclusivo, ainda que pequeno. As expressões ou dialetos podem ser: conversas de qualidade, passeios, assistirem tv juntos, etc.

Presentes
O que menos importa é o valor financeiro. Pode ser: colher uma flor, comprar uma pizza, dar uma jóia.
Gestos de Serviços
Aqui o que você faz fala mais alto do que qualquer palavra. Dialetos: lavar a louça, consertar a fechadura, levar o lixo pra fora, etc.

Toque Físico 
O importante é saber quando, como e onde tocar a pessoa. Ex: beijos, abraços, cutucão com o cotovelo, por a mão no ombro...


Para quem, como eu, tem certeza absoluta de que relacionamentos são difíceis e que amar exige de nós um esforço diário, fica a dica.

Beeeejoooossss!

Quel

5 comentários:

  1. Minha linguagem é: Qualidade de tempo! Adoro este livro...

    O amor está no ar na casinha de meninas hein?! Gostei muito! Beijos

    Ps - sonhei com vc esta noite, tenho q te contar! rsrsrs Cintia

    ResponderExcluir
  2. o amor tem que estar sempre no ar, né Enia/Cíntia! rs livro bom mesmo! vc que me indicou, lembra?

    ResponderExcluir
  3. Ansiosa pelas dicas de amanhã. Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Raquel, hoje é quarta-feira. Cadê o post novo?

    ResponderExcluir